4 de out de 2010

Lideranças regionais

Para tucanos, vitórias nos estados confirmam capacidade de gestão do PSDB

O PSDB conquistou quatros governos (SP, MG, PR e TO) estaduais já no primeiro turno nas eleições de 2010 e pode se tornar a legenda com o maior número de governadores a partir do próximo ano. No segundo turno, o partido concorrerá em Goiás, Pará, Alagoas, Roraima e Piauí. Para deputados da legenda, as vitórias nesses estados confirmam a capacidade das gestões tucanas, aclamadas pela população inclusive nos dois maiores colégios eleitorais do país (MG e SP).

Além disso, a votação expressiva de lideranças regionais também demonstra a confiança do eleitorado em três ex-governadores e dois candidatos à reeleição: Siqueira Campos (TO), Marconi Perillo (GO) e Simão Jatene (PA); além de Teotônio Vilela (AL) e José de Anchieta Júnior (RR).

Para o deputado reeleito José Aníbal (SP), a vitória de Geraldo Alckmin com 50,6% dos votos válidos para o governo estadual representa a confiança dos paulistas no modelo tucano de governar. Há 16 anos o partido está no comando do Palácio dos Bandeirantes.

“São Paulo tem uma população exigente e que reconhece que o PSDB não se acomodou em nenhum momento. O partido procurou sempre fazer mais e melhor, e agora fará um governo ainda mais inovador. E vai levar o estado a um novo patamar de qualidade de vida, de bem-estar, de salário para a nossa gente e de serviços públicos de qualidade”, afirmou o parlamentar, que foi coordenador do plano de governo de Alckmin.

Em Minas, a população também confirmou a preferência pela forma tucana de administrar e reelegeu Antonio Anastasia, que estava no cargo desde março em substituição a Aécio Neves. O senador Eduardo Azeredo (MG), que assumirá mandato na Câmara, comemorou a escolha. Para o parlamentar, seu estado continuará nos trilhos do progresso, como tem sido há oito anos sob a liderança tucana.

“É uma vitória da razão. Os mineiros votaram refletindo no que será melhor para o estado. Viram que Minas foi muito bem sob a liderança de Aécio Neves, tendo Anastasia como vice, e quiseram continuar com essa proposta correta, moderna e sem demagogia”, destacou.

Também reeleito, o deputado Luiz Carlos Hauly (PR) disse que a vitória de Beto Richa para o Governo do Paraná desmentiu os institutos de pesquisa e reafirmou a vontade do povo paranaense de ter um governante ético e competente. “Teremos um dos maiores governos de nossa história, liderado por Beto Richa que, sem dúvida, vai fazer grandes mudanças, melhorar a educação, a saúde e as estradas do Paraná. Será o governador da micro e pequena empresa e do setor produtivo. Ele vai dar atenção aos trabalhadores”, afirmou.

Representante tucano do estado de Tocantins na Câmara, o deputado reeleito Eduardo Gomes (TO) comemorou a vitória de Siqueira Campos para o Palácio Araguaia. Será o quarto mandato do tucano, que também foi o primeiro governador do mais jovem estado brasileiro. “Essa vitória representa a eleição de um projeto de desenvolvimento para o estado”, disse.

Otimismo para o 2º turno
Em Goiás, o senador e ex-governador Marconi Perillo vai para o segundo turno depois de receber 46,3% dos votos na primeira etapa da eleição. O tucano irá disputar a preferência do eleitor com Iris Rezende (PMDB), que obteve 36% dos votos. “Os goianos podem esperar por um governo ousado e pró-ativo. Marconi sempre ousou. Suas marcas são a coragem e a ousadia. Eu não tenho dúvida nenhuma de que em seu terceiro governo será ainda mais ousado”, afirmou o deputado Carlos Alberto Leréia (GO), também reeleito.


No Pará, o ex-governador Simão Jatene também disputará a eleição em segundo turno. O tucano, que obteve 48,9% dos votos válidos, disputará com a atual governadora, Ana Júlia Carepa (PT), que alcançou 36%.

Para o deputado Nilson Pinto (PA), a representativa votação do tucano representa a insatisfação da população com a atual administração. “Mostra, ao mesmo tempo, o reconhecimento do trabalho feito pelo Jatene quando ele foi governador. A comparação entre o mandato do tucano e da petista foi o parâmetro que orientou a população nessa vitória inicial do primeiro turno e que orientará na vitória definitiva do segundo turno”, afirmou.

Em Alagoas, o governador Teotônio Vilela Filho também poderá ser reeleito no segundo turno. Na primeira rodada ele obteve 39% dos votos contra 29% de Ronaldo Lessa (PDT). Em Roraima, José de Anchieta Júnior também tenta a reeleição. O tucano obteve 45% dos votos na primeira rodada contra 47% de Neudo Campos (PP). Ex-prefeito de Teresina, Silvio Mendes tentará se eleger no Piauí. O tucano disputa com Wilson Martins (PSB) o comando do Palácio Karnak. Mendes obteve 30% dos votos contra 46% do adversário. (Reportagem: Djan Moreno, com colaboração de Renata Guimarães/ Fotos: Eduardo Lacerda)

Ouça aqui o boletim de rádio

Força nacional

Partido mantém terceira maior bancada da Câmara e dobra eleitos em Minas Gerais

Depois do fechamento das urnas, o PSDB manteve a terceira maior bancada na Câmara e elegeu cinco senadores. Em Minas Gerais, por exemplo, o partido dobrou a sua bancada de deputados federais. No Senado, o tucano Aloysio Nunes foi o primeiro senador eleito pela legenda por São Paulo desde 1994. O resultado contrariou as últimas pesquisas, que mostravam a vitória dos dois candidatos apoiados pelo presidente Lula e deixavam o tucano em terceiro lugar na disputa. Além disso, quatros estados que não tinham representantes pelo PSDB na Câmara elegeram deputados federais. São eles: Alagoas, Acre, Amapá e Mato Grosso do Sul.

Para o deputado Eduardo Barbosa (MG), a vitória tucana em seu estado ocorreu principalmente devido ao grande desempenho e ao bom trabalho do ex-governador Aécio Neves, eleito senador neste domingo (3). Na sua avaliação, o empenho do governo do PSDB foi reconhecido pela população mineira. Aécio teve 90% de aprovação popular ao longo de sua gestão.

“A população de Minas Gerais avaliou com muita precisão a competência do governo de Aécio Neves. Houve uma mudança no projeto estratégico para o estado e agora teremos uma continuidade a partir do governo de Antonio Anastasia”, ressaltou
o parlamentar nesta segunda-feira (4), um dos quatro tucanos mineiros reeleitos.

No segundo maior colégio eleitoral do país, Minas Gerais, o partido também conseguiu eleger o deputado mais votado: Rodrigo de Castro. Os novos deputados pelo estado são: Carlaile Pedrosa, Domingos Sávio, Eduardo Azeredo e Marcus Pestana.

O deputado Edson Aparecido (SP), por sua vez, ressaltou a importância de ter um senador na bancada do PSDB para representar o Estado de São Paulo. Para o tucano, a vitória do Aloysio é uma conquista de todos os paulistas. “É uma vitória importantíssima para São Paulo, que passa a ter agora um senador preocupado com os problemas do estado. Até agora tínhamos, na representação dos senadores do PT, parlamentares apenas preocupados com os problemas do seu partido”, lamentou.

O tucano um dos oito reeleitos por São Paulo, também destacou a trajetória do novo senador. “Agora teremos uma pessoa que já foi ministro, deputado federal, além de ter uma excelente relação com o Congresso”, acrescentou Edson Aparecido, que é vice-presidente nacional do PSDB.

Os quatro novos deputados eleitos pelo partido nos estados nos quais a legenda não tinha nenhum representante na atual legislatura foram: Rui Palmeira (AL), Márcio Bittar (AC), Luiz Carlos (AP) e Reinaldo Azambuja (MS). (Reportagem: Letícia Bogéa/ Fotos: Eduardo Lacerda e Ag. Câmara)

Ouça aqui o boletim de rádio

Números

33,1 milhões
De votos foram dados a José Serra na disputa pela Presidência da República - 32,61% dos votos válidos.

53

É o número de deputados federais eleitos pelo PSDB em domingo. Com isso, a legenda mantém a 3ª maior bancada na Câmara, atrás apenas de PT e PMDB. SP e MG elegeram a maior quantidade de deputados: 13 e 8, respectivamente.

28
Deputados da atual bancada obtiveram a reeleição, sendo oito em São Paulo e quatro em Minas Gerais. Com isso, o índice de reeleitos é de 52,8%.

271.306
Foi a votação do secretário-geral do PSDB, deputado Rodrigo de Castro, o campeão nas urnas em Minas Gerais pela 2ª vez consecutiva.

270.661
É a quantidade de eleitores que votaram em Bruna Furlan em São Paulo, a recordista de votos pelo PSDB no estado. Nascida em Barueri, a tucana é formada em Direito e tem forte atuação em projetos sociais. Entre a bancada reeleita por SP, destaque para Emanuel Fernandes, votado por 218.789 eleitores.

52.183
Foi a quantidade de apoios nas urnas alcançada por Márcio Bittar, o mais votado no Acre para a Câmara dos Deputados.

62,2%
Foi o percentual dos votos válidos obtidos por Antonio Anastasia, governador reeleito de Minas Gerais. O tucano sucedeu Aécio Neves no estado, comandado pelo PSDB desde 2003. Em São Paulo, Geraldo Alckmin obteve 50,63% dos votos válidos. Em ambos os estados, que têm os maiores colégios eleitorais do país, os tucanos bateram candidatos apoiados pelo presidente Lula e pelo PT - o senador Aloisio Mercadante (PT-SP) e o ex-ministro das Comunicações Hélio Costa (PMDB-MG).

Mapa eleitoral

Veja na matéria abaixo a lista com os nomes dos tucanos eleitos.

Balanço das urnas

PSDB elege 53 deputados federais, 5 senadores e 4 governadores no 1º turno

O PSDB comprovou nas urnas, mais uma vez, seu papel de destaque no cenário político de Norte a Sul do país. Além de José Serra ter sido escolhido por 33 milhões de brasileiros para a Presidência, levando o tucano ao 2º turno com a petista Dilma Rousseff, o partido elegeu já neste domingo quatro governadores - inclusive nos dois maiores colégios eleitorais do país (SP e MG). Além disso, a legenda terá em cinco unidades da federação (AL, GO, PA, PI e RR) candidatos que disputarão uma segunda rodada de votações em 31 de outubro, abrindo a possibilidade de o PSDB comandar o maior número de estados a partir de 2011. No Congresso, a princípio serão 53 deputados e 10 senadores - sendo cinco eleitos neste 3 de outubro - que exercerão mandato na próxima legislatura.

É importante ressaltar que o TSE considerou nulos os votos dados a candidatos enquadrados pela Lei da Ficha Limpa. A decisão foi fruto da indefinição do Supremo Tribunal Federal sobre a validade da legislação para o atual pleito. Caso vençam na Justiça posteriormente, esses políticos terão seus votos considerados válidos e deverá haver nova proclamação de resultados. Isso pode levar a uma mudança do cálculo das bancadas e do quadro dos eleitos, tanto no Congresso quanto nos governos.

Na Câmara, 28 integrantes da atual bancada conquistaram a reeleição (nomes em negrito na lista abaixo). O secretário-geral do PSDB, Rodrigo de Castro, que já havia sido o deputado federal mais votado em MG em 2006, repetiu o feito: 271 mil pessoas o apoiaram nas urnas. No Senado, obtiveram um mandato até 2019 os seguintes tucanos: o ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves; o ex-deputado federal Aloysio Nunes Ferreira (SP), que teve 11 milhões de votos no berço político do PSDB; o deputado federal Paulo Bauer (SC), além de Lúcia Vânia (GO) e de Flexa Ribeiro (PA), ambos reeleitos (nomes em negrito na lista).

O PSDB tem mais cinco senadores titulares com mandato até 2015: Alvaro Dias (PR), Cícero Lucena (PB), Mário Couto (PA), Marisa Serrano (MS) e Marconi Perillo, que foi para o 2º turno na disputa pelo Governo de Goiás.

Há, ainda, parlamentares das atuais bancadas do partido que disputaram cadeiras em outras casas legislativas com sucesso. É o caso do presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), eleito deputado federal com a maior votação em sua coligação (167 mil), e do também senador Eduardo Azeredo (MG), que conquistou uma vaga na Câmara. Como já foi destacado, o deputado Paulo Bauer foi eleito senador em SC, enquanto o deputado Freire Junior obteve uma cadeira na Assembleia Legislativa de Tocantins. Já o deputado Rômulo Gouveia (PB) é vice do candidato a governador Ricardo Coutinho (PSB), que disputará o 2º turno.

Nos estados, os governadores tucanos eleitos derrotaram aliados do governo Lula. Em SP, Geraldo Alckmin foi escolhido para governar pela 3º vez o estado, comandado pelo PSDB há 16 anos. Já Antonio Anastasia, candidato à reeleição, venceu de virada as eleições em Minas Gerais, enquanto Beto Richa foi eleito governador do Paraná tendo o senador Flávio Arns como vice na chapa. Por sua vez, em Tocantins o partido ganhou com Siqueira Campos, que já ocupou o cargo. Os tucanos que concorrerão no 2º turno são: Teotonio Vilela Filho (AL), Marconi Perillo (GO), José de Anchieta Junior (RR), Simão Jatene (PA) e Sílvio Mendes (PI).

53,3 milhões
É o número de eleitores em SP, MG, PR e TO, estados onde o PSDB venceu a disputa para o governo já no primeiro turno.

Veja abaixo a lista dos candidatos a deputado, senador e governador pelo PSDB eleitos neste domingo

Região Centro-Oeste

Goiás
Câmara: Carlos Alberto Leréia, João Campos e Leonardo Vilela
Senado: Lúcia Vânia

Mato Grosso
Câmara: Nilson Leitão

Mato Grosso do Sul
Câmara: Reinaldo Azambuja

Região Nordeste

Alagoas
Câmara: Rui Palmeira

Bahia
Câmara: Antonio Imbassahy e Jutahy Junior

Ceará
Câmara: Raimundo Gomes de Matos

Maranhão
Câmara: Carlos Brandão, Pinto Itamaraty e Helio Santos

Paraíba
Câmara: Ruy Carneiro e Romero Rodrigues

Pernambuco
Câmara: Bruno Araujo e Sérgio Guerra.


Região Norte

Acre
Câmara: Márcio Bittar

Amapá
Câmara: Luiz Carlos

Tocantins
Câmara: Eduardo Gomes
Governador eleito: Siqueira Campos

Pará
Câmara: Nilson Pinto, Wandenkolk Gonçalves e Zenaldo Coutinho
Senado: Flexa Ribeiro

Roraima
Câmara: Berinho Bantim

Região Sudeste

Espírito Santo
Câmara: Cesar Colnago

Minas Gerais
Câmara: Carlaile Pedrosa, Domingos Sávio, Eduardo Azeredo, Eduardo Barbosa, Marcus Pestana, Narcio Rodrigues, Paulo Abi Ackel e Rodrigo de Castro.
Senado: Aécio Neves
Governador reeleito: Antonio Anastasia

Rio de Janeiro
Câmara: Andreia Zito e Otavio Leite

São Paulo
Câmara: Bruna Furlan, Carlos Sampaio, Dib, Duarte Nogueira, Emanuel Fernandes, Edson Aparecido, José Aníbal, Julio Semeghini, Luiz Fernando Machado, Mara Gabrilli, Mendes Thame, Ricardo Tripoli e Vaz de Lima.
Senado: Aloysio Nunes
Governador eleito: Geraldo Alckmin

Região Sul

Rio Grande do Sul
Câmara: Nelson Marchezan Junior

Paraná
Câmara: Alfredo Kaefer, Delegado Francischini e Luiz Carlos Hauly.
Governador eleito: Beto Richa

Santa Catarina
Câmara: Jorginho Mello e Marco Tebaldi
Senado: Paulo Bauer

Os nomes em negrito foram reeleitos. Há estados que até as 7h50 desta segunda-feira ainda não haviam totalizado 100% das urnas apuradas. O AC era a unidade da federação mais atrasada até então, com 98,49% do total.

(Reportagem: Marcos Côrtes/ Imagens: divulgação/CD e TSE)

Ouça aqui o boletim de rádio